Os devaneios, sonhos, rotinas e alucinações de uma mulher comum que de comum não tem nada. Não será esta a melhor descrição para qualquer mulher... mas que sei eu... sou só uma tola...

09
Ago 13

O que vou escrever aqui hoje pode ser altamente polémico e alvo de alguns sobrolhos levantados ou franzidos dependendo da preferência, mas é algo precisa de ser depurado da minha alma. Este tema tão falado e tão polémico é, nada mais nem nada menos que, a Juventude dos nossos dias.

Eu não sou velha, nem para lá caminho, mas vejo nos adolescentes e jovens adultos de hoje uma inércia, estagnação e falta de educação tremendas. Já o havia “no meu tempo” (linda expressão) e sempre houve, todavia deparo-me hoje em dia com batalhões de jovens “feios, porcos e maus”. As raparigas parecem não ter vontade própria, vivem em função de seguir as últimas modas, nem que para isso tenham que se assemelhar a um palhaço ou sem abrigo e os rapazes não fazem mais do que andar a arrastar o cú das calças pelos joelhos e demonstrar comportamentos pseudo-delinquentes (quando não o são mesmo). Em comum estas ricas criaturas têm a linguagem que é, muitas vezes, suficientemente má para fazer corar as pedras da calçada.

Antes que me batam, faço a ressalva de que não são todos assim. Existem as exceções que, na sua maioria, são marginalizadas por não se coadunarem com estes comportamentos de matilha selvagem. Infelizmente, os membros da matilha parecem aumentar e as exceções diminuir de dia para dia.

A minha teoria para esta situação será, talvez, a falta de tempo que os pais têm para estes seres, ocupados que estão em garantir a sobrevivência da espécie trazendo o “pão” para casa (passo o vulgo). Fazendo com que os ditos não se apercebam da infeliz realidade que se pavoneia de um lado para o outro lá em casa ou que lá aparece de vez em quando para comer e dormir. Mas, não menos grave do que isso é o nosso sistema educativo que se assemelha em tudo a uma escola de criminosos. A solução iluminada dos pedagogos brilhantes que ocupam este planeta é a de “não tocar nos meninos, nem ralhar muito para não os traumatizar”. Deixam os professores de mãos atadas, estes últimos, coitados, nem se podem defender sequer e crescem os acima referidos batalhões, que qual doença infecto-contagiosa, vão aumentando como que por osmose.

Não estou a defender voltar ao tempo da ditadura, nem os professores andarem à “lapada” aos alunos…. Mas um bom “cachaço” nunca matou ninguém ou, em casos mais sérios, fazê-los lavar os quartos de banho com uma escova de dentes. Estes seriam alguns dos métodos dissuasores de comportamentos menos próprios dentro e fora da sala de aula.

Não senhor… os pedagogos não concordam… uhhhh… então é porque é grave. E o governo, também sempre brilhante nas suas medidas, crê piamente que não há problema nenhum em fazer turmas maiores para os aglomerar em maior número e poupar uns “trocos” com milhares de professores no desemprego.

O que estes “especialistas” não se lembram é que estes pseudo-delinquentes são o nosso futuro… que, meus amigos, se adivinha negro q.b.

Portanto, conselho de uma tola… invistam na educação pais, governo, professores, pedagogos e mundo em geral porque se não o fizerem não auguro nada de bom.

Mas enfim, que sei eu?!!? sou só uma tola….

publicado por Nessie às 17:31
sinto-me: Perplexa
música: Hey teacher leave the kids alone - Pink Floyd

Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
27
28
29
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

favorito

O amor..

blogs SAPO