Os devaneios, sonhos, rotinas e alucinações de uma mulher comum que de comum não tem nada. Não será esta a melhor descrição para qualquer mulher... mas que sei eu... sou só uma tola...

11
Dez 13

Perdoa-me, perdoa o mal que te fiz ainda que inconsciente, perdoa se enchi a tua mente, perdoa a dor que te provoquei e a desilusão que criei, preferia ter sofrido eu, preferia que o coração partido fosse só o meu.

Perdoa as expectativas que manchei, as promessas não ditas que quebrei, perdoa não ser perfeita, perdoa ser cobarde, perdoa esta alma que aceita que agora já é tarde.

Perdoa-me, mas a dor maior é a minha, a vida perdeu a cor e não tem o sabor que tinha. O mal está feito, eu não tinha o direito de te magoar, não precisas de massacrar um coração despojado, vazio e magoado…  uma alma sem esperança, que vive apenas da lembrança de momentos efémeros e passados, passageiros e roubados.

Perdoa os sonhos que tenho, se nos meus olhos os consegues ler, apesar do meu empenho não consigo esquecer. Perdoa a minha secreta esperança, sei que te aborrece, vivo com esta lembrança que me sustenta, te incomoda e me alimenta.

Peço-te apenas.. não me guardes rancor, não afastes esse rosto que conheço de cor, não veja eu desprezo no teu olhar, esta alma minha não ia aguentar. Peço-te apenas que sintas carinho e amizade e até que recordes com saudade o sentimento que nos uniu… se é que esse sentimento realmente existiu.

publicado por Nessie às 15:51
sinto-me: Bloqueada...
música: On my own - Les miserables

05
Dez 13

A minha máscara é bela, é elegante e educada. A minha máscara é forte, uma senhora e inteligente. Vestia desde cedo como uma segunda pele, adaptei-me a ela e a certa altura era ela que me vestia… A minha máscara é corajosa, alegre e divertida, é confiável e fiel. Todos dependem dela e a conhecem. A minha máscara sabe que não pode cair nem quebrar, não pode fraquejar nem ceder…

Deixei de conhecer a pessoa que vive por trás da máscara, ela tornou-se o único lar que conheço e só ela me protege do mundo. A minha máscara é o meu refúgio e porto seguro, é o espelho do que a vida me fez, é o reflexo que os outros querem ver. Não existo sem ela porque é a ela que conhecem, não respiro sem ela porque não conheço esta atmosfera, não vejo sem ela porque os meus olhos cegam com a luz.

A minha máscara?... A minha máscara anulou-me, emprisionou-me, olvidou-me. Com a minha máscara traí-me, menti-me e enganei-me. Com a minha máscara vivo na mentira e falsidade. A minha máscara não cai, não quebra nunca, nem mesmo quando eu assim desejo.

A minha máscara?...A minha máscara é o meu carrasco, minha torre e sofrimento. A minha máscara é prazer e gáudio alheio, é barreira à vida e segurança castradora. Com ela tornei-me numa boneca de trapos, fantoche da vida, beleza envenenada.

A minha máscara?... A minha máscara matou a minha alma…

publicado por Nessie às 14:55
sinto-me: De máscara...
música: Ave Maria - Barbara Streisand

30
Out 13

A dormência da alma que aquece sob o sol frio de inverno, a tranquilidade da ausência de expectativas, a serenidade matinal que acompanha as primeiras luzes da manhã e a leve aragem que arrepia a pele já sem calor. Estar vivo sem estar, escrever sem sentir, ser poeta sem alma e mártir sem causa é a dicotomia dos sentidos que não tenho.

A escuridão que me envolve, o fim desta busca constante de um sonho há longo tempo morno, esta prisão tão conhecida e familiar da qual sou prisioneira e cárcere e a tristeza… minha companheira e cúmplice de todas as horas.

Ouço um choro longínquo, um gemido surdo que me enche a garganta, o quebrar de grilhetas e a libertação súbita da alma. Reconheço o fado que me acompanhou toda a vida, o fado errante que não queria voltar a ouvir, a esperança perdida que não quero reencontrar, as expectativas que tinha olvidado para não mais recordar.

Sinto a alma a agitar, o coração a bater novamente e o corpo a aquecer, não mais sinto dormência na alma e nos sentidos, vítimas inocentes desta esperança maldita que agita e aquece. Não mais há serenidade, mas voragem, tropel e tumulto, não mais encontro a paz que a desilusão me presenteou porque sonho novamente, escrevo mais uma vez, vivo mais um dia para criar expectativas.

Seguir-se-á inevitavelmente a dor, a mágoa e a desilusão, as lágrimas já secas em fonte estéril brotarão novamente em ribeiro batido até a serenidade do frio voltar…

publicado por Nessie às 15:35
sinto-me: Confusa...
música: One day you will - Lady antebellum

17
Out 13

Agarra-te com força à vida, luta, vive, permite-te um pouco de loucura, sonha, planeia e sorri, diz sim quando o sentires e não quando te fizer espécie, porque tudo passa tão depressa, o tempo urge e a alegria de viver é efémera e fugidia.

Gastamos energia com preocupações irrelevantes, perdemos tempo com assuntos sem interesse e, na nossa obsessão com o futuro, deixamos escapar o tão precioso presente. Somos todos espíritos livres, somos todos almas sem mestre e por isso não te deixes acorrentar a uma vida que não desejas, solta as grilhetas que te oprimem e respira… sobe ao topo do monte ou sente a areia nos teus pés descalços e respira fundo. Recorda a paisagem, sente o vento bater no teu rosto, saboreia a sensação de liberdade e sente o peso do teu peito desaparecer lentamente, porque isso é que significa estar vivo.

Somos infinitamente pequenos neste mundo e, no entanto, no teu coração pequenino cabe o mundo de alguém, não somos nada no curso da história, mas podemos fazer parte da história de muitos, não temos peso no universo, mas podemos mudar a vida de outros. Acorda, redescobre as sensações que esqueceste, coisas simples, coisas que de tão pouca importância terem são a melhor sensação do mundo.

Atreve-te, arrisca, deixa o jugo que te prende e não te esqueças que o impiedoso tempo não pára por ti nem por ninguém... viver é bom, se te permitires viver.

 

publicado por Nessie às 12:06
sinto-me: Free...
música: Freedom - George Michael

05
Set 13

Assolam-me encruzilhadas de pensamentos,

estradas sinuosas e perigosas de sentimentos,

ruas de emoção e praças de lágrimas enchem a alma.

Uma alma perdida,

uma vida fugida,

uma mente dividida.

Um ponto de interrogação solto no vento procura uma resposta,

uma questão pertinente a um não assunto,

uma dúvida acerca de uma certeza,

uma escolha que não existe.

Um porquê?

Um porque não?

Um talvez sim,

um talvez não.

E afinal…

qual era a questão?

publicado por Nessie às 17:20
sinto-me: Em dúvida...
música: What life is for - David Fonseca

Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

favorito

O amor..

blogs SAPO