Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conselhos de uma Tola

Os devaneios, sonhos, rotinas e alucinações de uma mulher comum que de comum não tem nada. Não será esta a melhor descrição para qualquer mulher... mas que sei eu... sou só uma tola...

Conselhos de uma Tola

Os devaneios, sonhos, rotinas e alucinações de uma mulher comum que de comum não tem nada. Não será esta a melhor descrição para qualquer mulher... mas que sei eu... sou só uma tola...

Observadora da Humanidade...

Março 29, 2018

Nessie

Sou uma observadora da humanidade, nunca me senti como parte integrante. Não num sentido superior, não como sendo melhor…. Mais como estranha, deslocada, como vendo de fora algo diferente, interessante.

Vejo as pessoas a passarem pela vida como algo que não lhes pertence, como se não lhe dessem a devida importância. De vez em quando sinto tudo, todas as emoções, todos os momentos como sendo demasiado, como se explodisse em mim o sentimento. Outras vezes estou adormecida e letárgica como se anestesiada.

Observo as pessoas a almoçarem, a passearem os cães, a falarem de futebol… no seu dia-a-dia enquanto as observo descortino os seus pensamentos mais íntimos, as suas preocupações e os seus medos. Vejo estampados nos seus rostos e nos seus olhos o que a sua boca não diz e o que procuram esconder.

E questiono-me e interrogo-me se serei a única que vê tudo isto enquanto vê a vida a passar?

Assemelho-me ao tempo, ora soalheiro e cheio de calor, luz e brilho, ora enublado, húmido e frio e esta incoerência, esta instabilidade faz parte de mim e não há meio-termo. Não sei viver de outro modo e apesar da máscara calma e passiva que uso na sociedade, vive em mim esta dicotomia e contradição.

E questiono-me e interrogo-me e penso… Penso muito nesta humanidade que sinto como não minha, como estranha, como alienígena.

Sento-me e vejo a vida a acontecer, vejo a vida a passar, vejo a vida viver…

Homens de Soleira...

Março 29, 2018

Nessie

O olhar sem alma de quem perdeu a esperança, o rosto sulcado por histórias e linhas de sofrimento. Veem a vida passar sentados na soleira de uma porta qualquer enquanto chupam um cigarro moribundo.

Um dia o mundo também foi deles... Fizeram planos, tiveram sonhos e o coração pulsava forte a luz da vida. Todos os homens de soleira tiveram vidas um dia, todos viram os seus planos e esperanças escorrerem pelo ralo amargo da realidade.

São agora invisíveis... Velhos demais para trabalhar, novos demais para a reforma, a lembrança incómoda do que está errado na sociedade, a presença constante que optamos por não ver como espectros de uma realidade dúbia que se não for vista não existe.

Se olharem nos olhos de um desses homens de soleira verão que já nem tristeza existe no seu olhar. Despojados de toda a dignidade de ganha-pão que um dia tiveram, sobra apenas a carcaça inútil sem uma ocupação e o tempo que não finda jamais.

Dia após dia, as horas, os minutos e os segundos repetem-se iguais a si mesmos num incessante ciclo que só terminará com a morte que já tem a sua alma, o seu cigarro moribundo... Falta apenas a levar a carcaça.

As marcas dos sonhos...

Janeiro 30, 2017

Nessie

Hoje sentada sozinha no metro perguntava-me se as pessoas conseguiam sentir o meu desespero? Claramente não. A mim parecia-me tão palpável que fiquei surpreendida que as pessoas à minha volta continuassem perdidas nos seus pensamentos, alheias à minha escuridão.

Já por diversas vezes dei comigo neste buraco escuro em que me encontro. Sempre consegui trepar até sair dele, nem que fosse a rastejar. Desta vez não será exceção, mas não vai ser fácil. Este… bem, este é bem fundo e frio.

Ponho mais um tronco na lareira, na tentativa de aquecer estes meus ossos cansados. Os ossos deste corpo que dói por todo, por dentro, por fora, desde a alma até à pele.

Todavia, continuo a acreditar em arco-íris, fadas e promessas de um amanhã melhor, porque sou humana e como humana que sou tenho esperança. Não temos todos?

Ouço a chuva lá fora e enquanto aqueço os ossos à lareira deixo escorrer os meus sonhos como as gotas na janela. Um por um, qual gotas de chuva deixam um trilho na janela da minha alma. Desisti da maioria deles, mas deixam a sua marca, uma linha clara, quase invisível aos olhos, mas ainda assim uma marca.

Quantas linhas nos compõem? Quantos sonhos perdemos na vida? Quantas gotas desaparecem no parapeito da nossa janela?

Ao som ritmado da chuva deixo-me adormecer, a doce inconsciência que alivia o meu cérebro gasto… voltam as gotas, vão-se as linhas, vão-se as marcas…

Mapa do destino...

Janeiro 13, 2017

Nessie

Sinto a energia a deixar o meu corpo devagarinho, como uma morte lenta e inexorável. Perdi a vitalidade e alegria de outrora, não sou mais a jovem cheia de sonhos e ambições que ainda ontem era.

A vida atingiu-me com a sua pungente realidade, o tempo tornou-se senhor e soberano, os planos e expectativas escapam-me por entre os dedos como as areias austeras do tempo.

Ouço o ritmo incessante dos ponteiros do relógio… são sentenças saídas de bocas de juízes. Tento libertar-me da letargia paralisante em que me encontro, procuro na escuridão a saída para a luz. Quero parar o tic tac inclemente do tempo, quero que o mundo cesse e veja a minha dor, perceba o meu sofrimento e me envolva no manto quente e confortável do esquecimento.

Nos mapas do destino não encontro o caminho certo, não vejo os portos de abrigo, estou só e órfã ao sabor do abandono e da intempérie. Vejo os sinais, sinto as mudanças, a mão guiadora dos anjos, mas continuo sem saber que estrada seguir, que objetivo é o meu…

Não, eu não tenho que mudar...

Agosto 08, 2016

Nessie

Não, eu não tenho que mudar. Não, a vida não me tornou amarga, não me tornou mesquinha. O sofrimento fez-me crescer, amadurecer, compreender melhor o próximo e não o contrário. Não passei a odiar todos os que parecem mais felizes do que eu, não me tornei crítica e de mal com a vida com o mundo, não julgo com leviandade e sei que cada um tem o seu caminho e o seu tempo.

Sofri tanto como o próximo, o meu sofrimento não é maior nem menor do que o dos outros, porque o sofrimento não se compara, não é mensurável, cada um o sente à sua maneira e com a sua intensidade.

Não, eu não tenho que mudar. Sei que seria mais fácil para mim mudar, ser mais egoísta, mais dura, mas as dificuldades da vida só me fizeram ter mais compaixão, mais amor para dar, mais compreensão.

Não, não tenho que mudar. Eu sei que a minha paciência é grande demais, sei que o meu sentido de sacrifício é demasiado elevado, sei que sou muito tolerante e sinto o sofrimento dos outros com sendo meu. Sou criticada como sendo “palerma”, “burrinha”, “tem o que merece, porque o permite”. Mas ainda assim não, eu não tenho que mudar.

Eu não sigo o caminho mais fácil, não é fácil manter-me igual a mim própria quando todos me dizem para ser o contrário, não é covardia manter-me fiel a mim própria e aos meus princípios quando sou a principal prejudicada por ser como sou. Todavia, não, eu não tenho que mudar.

 

Sou o que sou, um ser humano diferente, difícil até e não, não espero que compreendam, mas não, não me peçam para mudar, porque NÃO, eu NÃO tenho que mudar…

Contrários e contrariedades...

Maio 06, 2016

Nessie

Há dias melhores, dias piores, dias de chuva que escondem as minhas lágrimas e dias de sol que refletem o meu sorriso, dias de vento que levam os meus segredos e dias de frio que me gelam os sentimentos.

Já vivi os dois lados da vida, conheço a luz e a escuridão que albergo em mim, tive várias vidas e vários papéis, lutei pacificamente, aguardei aguerridamente, desejei sucesso, desesperei por amor, encontrei consolo na amizade, perdi amigos, ganhei irmãos, fui grande e pequena, heroína e miserável, fui o tudo que em nada deu e o nada que em tudo se tornou.

Não acredito em viver pela metade, mas também já o vivi, não acredito em mentiras, mas também já menti, não acredito em enganar, mas também já enganei. Sou forte quando menos se espera e fraca quando parece fácil, corajosa no que não faz sentido, covarde no que não tem perigo. Sou capaz da maior paciência e disparo num segundo, resiliente até ao fim e orgulhosa no meu âmago. Consigo ser capaz do maior esforço e da pior preguiça, de amar incondicionalmente e de desprezar por um detalhe.

A vida passa, depois corre e urge, a vida é demais para mim e não me chega de todo. Tenho sede de viver e a vida afoga-me, a vida não me chega e estou cansada dela. Sou de contrariedades e contrários, sou coerente e inconstante, sinto-me jovem e a juventude parece-me longínqua, sou ridícula, engraçada, uma rebelde e uma senhora, tudo dentro do mesmo corpo.

Sou um ser humano complicado, difícil até e não, não espero que me compreendam…

Carta no 1º aniversário da minha filha...

Abril 08, 2016

Nessie

Minha querida filha

 

Eu gostaria de te proteger de todo o mal do mundo e, dentro das minhas possibilidades, é o que farei. Ainda és uma criança e, por isso, vês o mundo cor-de-rosa, um sítio maravilhoso que só a tua inocência de criança te permite. Se pudesse, mantinha essa tua visão do mundo, para que nunca sentisses tristeza, dor ou sofrimento.

A vida nem sempre te vai sorrir, as pessoas são cruéis e a escuridão está um pouco por todo o lado. Mas tu, minha querida menina, és um sol, uma luz que brilha e ilumina todos os meus dias. Mantém esse sorriso franco e desarmante, a tua natureza doce e bem-disposta e a tua simpatia contagiante e verás que a vida será um bocadinho menos difícil.

De tão tenra idade e já se nota em ti uma personalidade forte. Nunca permitas que te diminuam, nunca deixes que te vergam, és o orgulho da tua mãe e a minha razão de viver. Só isso faz de ti uma pessoa importante, indispensável e maravilhosa, fora todas as tuas qualidades que te definem como ser humano.

Verás que no meio da escuridão encontrarás sempre lampejos de esperança, no meio da maldade encontrarás indícios da bondade humana, procura as pessoas boas, luta pelo bem e sê correta. Não desistas de praticar o bem, não te deixes abater ou influenciar ainda que seja mais fácil, corre atrás do que almejas e vive a vida de acordo com os teus ideais. Nunca deixes que te digam que não és capaz ou não és boa o suficiente… nunca. Tu és capaz, tu tens muito valor, tu és muito especial.

Passarás por diversas fases, vai haver dias em que não vais gostar de ti própria, em que a tua autoestima estará em baixo, fases rebeldes, fases intelectuais, fases divertidas, outras nem tanto, mas todas essas fases passam, todas essas fases contribuem para a pessoa que te tornarás, para a mulher que serás.

Do passado, aprende com o mau, guarda como recordação o bom e segue em frente. Vive o presente e não o passado, nem o futuro. Planeia, tem objetivos, mas guarda espaço para o imprevisto, porque verás que na vida, geralmente, os melhores momentos não foram planeados.

No meu regaço e no meu abraço encontrarás sempre consolo, carinho e alento. Eu procurarei ser sempre o teu porto seguro, a mão que te direciona e o impulso que precisas. Cometerei erros, farei asneiras, mas não desistas de mim minha querida filha, porque eu nunca, mas nunca desistirei de ti.

 

Beijinhos grandes no teu aniversário

Da sempre tua:

Mamã

Bipolaridades e voltas...

Fevereiro 10, 2016

Nessie

Como todo o ser humano dito "normal" eu tenho as minhas "bipolaridades". Por "bipolaridades" eu quero dizer aquela sensação de felicidade e infelicidade ao mesmo tempo... quando, em certos aspectos, a vossa vida é exactamente como vocês queriam e arquitectaram e noutros não é nem pouco mais ou menos o que queriam.

A dada altura todos temos projectos, planos, objectivos e afins, mas a vida nem sempre corre como queríamos e, de um momento para o outro, damos por nós na ponta oposta do nosso plano. Sentimos que fizemos um enorme desvio e nem sabemos muito bem onde. Pensamos para connosco, "quantas decisões erradas tive que tomar na vida para chegar aqui?".

Pois bem... esta "tola" tem uma resposta para vos dar. Uma das maravilhas da vida é o facto de não conhecermos o futuro, o que a vida tem de fantástico é que pode dar uma volta de 180 graus quando vocês menos esperam. Temos uma certa tendência para só recordar as voltas más ou menos boas que a vida dá. Todavia, se vocês pensarem bem e forem justos vão ver que, por diversas vezes, a vida deu voltas fantásticas. Ou aquela pessoa especial que conheceram quando menos esperavam e até já tinham desistido (em geral é assim) ou aquela amiga fantástica que vos apoia e com quem de início não tinham grande afinidade ou aquele emprego que não prometia muito mas onde vocês se sentem realmente bem. Por vezes podem ser coisas mais pequenas, como aquele fim de tarde lindíssimo depois de um dia inteiro de chuva, aquele fim-de-semana em que se divertiram muito mais do que estavam à espera ou aquele corte de cabelo que foi um bocado arriscado, mas até é a vossa cara. Pode ser um cão, gato, periquito, etc. que surgiu quando menos esperavam e que tanta alegria vos dá ou aquela surpresa que vos fizeram sem estarem à espera ou até um carinho que o vosso filho/amigo/companheiro vos fez e não contavam...

Resumindo e descomplicando, tenham planos, objectivos e afins, mas guardem espaço para as surpresas, voltas, reviravoltas e dádivas da vida... que vão ver que, se calhar, e só se calhar, os maiores prazeres da vida nem sequer foram os que planearam. Mas atenção, isto é só o conselho de uma tola...

 

De volta...

Fevereiro 04, 2016

Nessie

Depois de um longo interregno de quase um ano estou de volta... fiquem atentos que em breve haverá novos textos :)

Acordei um dia....

Março 12, 2015

Nessie

Acordei um dia e vi que a vida tinha mudado, os campos eram diferentes, as flores desabrocharam, o cheiro a mar ficou mais intenso. No meu rosto as linhas acentuavam, o tempo deixava a sua marca, mas os olhos eram mais expressivos, as palavras mais sábias e as acções mais ponderadas.

Todas as nossas decisões, grandes ou pequenas nos levam a este preciso ponto na nossa vida… o ponto em que nos conhecemos tão profundamente, em que temos plena consciência de quem somos e os passos que tomamos para cá chegar, em que nos aceitamos e aceitamos as consequências das nossas decisões.

Não interessa se o caminho é o certo ou o errado, se as decisões foram as mais acertadas…. Este é o nosso caminho, só a nós nos compete decidir. Somos mestres em procurar desculpas, em afirmar que não tivemos escolha, que a vida nos empurrou ou forçou a determinadas atitudes. O melhor mesmo é assumirmos que ninguém nos forçou, somos o que somos porque fizemos as escolhas que fizemos e aceitamos que este é o nosso caminho, por nós traçado e por nós percorrido.

Assim sendo, acordamos um dia e a estação mudou, as árvores estão em flor e os frutos não tardam. As marcas que o tempo nos deixa contam uma história, as linhas à volta dos olhos são prendas de sorrisos e gargalhadas e a calma instala-se em nós como uma doce brisa da Primavera. A estação mudou, nós mudamos e o caminho continua…

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.